Crianças da Estrutural e policias da Rotam posando para foto

Projeto intitulado Rotam na Comunidade atende 50 crianças de 6 a 14 anos ensinando a doutrina e a técnica do jiu-jitsu na Estrutural.

O resultado aparece em forma de assimilação de valores, melhora no comportamento, melhoria no rendimento escolar e redução de situações de conflitos. “A gente recebe muito mais do que dá a eles”, admite o agradecido sargento Perpétuo.

É a primeira experiência deles com o jiu-jitsu”, explica o sargento Harlen Graciano Perpétuo, idealizador do projeto ao lado do cabo Bernardo Campos, que acrescenta: “sempre tive o sonho de retribuir um pouco do que a vida me proporcionou”.

crianças treinando jiu-jitsu

A estudante Giovana Duarte, 10 anos, gastava muito tempo brincando com o celular. Em casa, passava o dia entediada. Além da monotonia diária, sofria com crises de convulsão.

Há um ano, a rotina de Giovana mudou. Ela entrou no projeto social Rotam na Comunidade, que oferece aulas gratuitas de jiu-jitsu na sede da unidade policial. O tempo ocioso agora é preenchido com o esporte e as crises de convulsão acabaram. “Sempre tive o sonho de lutar”, confessa a empolgada lutadora.

A mudança na vida da estudante agradou em casa. A telefonista Glauce dos Anjos Duarte, mãe da Giovana, comemora. “O projeto veio para ajudar. Ela está mais obediente e disciplinada”.

O multicampeão de jiu-jitsu, o cabo Bernardo Campos, explica que o objetivo não é garimpar talentos. Mas os jovens que se destacam ganham uma atenção especial. “Eles participaram de dois campeonatos em Brasília e saíram-se muito bem, inclusive subindo ao pódio”.

Para os instrutores, o projeto social traz um grande retorno também para a Polícia Militar. “Hoje as crianças se empolgam ao ver uma viatura”, regozija-se Bernardo.

Instalado na Cidade do Automóvel, o Batalhão da Rotam fica próximo a uma das regiões mais vulneráveis do Distrito Federal, a Estrutural. As aulas de jiu-jitsu pretendem dar esperança aos jovens e motivação para vencer as adversidades do local onde moram.

Com informações da Estrutural Online.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here