Assim que a reforma foi aprovada na CCJ, nesta noite de terça, o ministro da Economia, Paulo Guedes agradeceu Rodrigo Maia.

Foi uma troca de afagos, já que o Maia, presidente da Câmara, também elogio Paulo Guedes, pelo trabalho de sua equipe econômica durante o conturbado processo de apresentação na CCJ.

Entretanto, Maia também fez críticas à falta de articulação política do Executivo, sendo incisivo de que o presidente precisa “entrar mais”.

Aos aliados Maia deixou bem claro que não conseguirá “toda hora ter essa energia para aprovar. Não vou, precisam ajudar”. Deixando claro que a responsabilidade pela Previdência não é só sua, mas principalmente de esforços do governo.

PRÓXIMAS ETAPAS

Após essa etapa inicial, que avaliou a constitucionalidade da proposta, ela segue para uma Comissão Especial. Esse será um momento crucial, pois nessa comissão será discutido o mérito (o conteúdo) da reforma.

O Centrão pressiona para escolher o relator na comissão especial. O que deixa o governo apreensivo, pois ao contrário do relator na CCJ, Felipe Franscischini (PSL), os deputados do Centrão se uniram à oposição para atrasar a votação.

Em seguida, após aprovada na Comissão Especial, a proposta vai para votação no Plenário da Câmara, onde se aprovado segue para o Senado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here